Comprando um seminovo

Comentários (0)

Comprando um seminovo

Os preços dos veículos 0 km no país aumentam cada mês e o brasileiro reclama – com justificativa – que estes valores não resultam em boas compras. É bastante comum achar um modelo caro e que não oferece ao menos ar-condicionado   em um país de clima quente como o nosso. Por estes e tantas mais causas, a escolha por seminovos e usados passou a ser parte do cotidiano.  Porém juntamente com a aquisição considerada vantajosa, é necessário aferir alguns produtos antes de sair da loja ou remover o veículo com o dono anterior. Especialistas similarmente recomendam checar se o automóvel já foi batido, se tem pendências jurídicas e se vem com o manual e chave reserva.

Quais as recomendações principais no momento de adquirir um usado?

O diretor executivo da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Nilton Monteiro, enumera 2 passos. O primeiro é definir este tipo de compra em uma concessionária da marca do automóvel desejado. “É um local que geralmente oferece alguma garantia e dados mais fidedignos do veículo”. O segundo passo é ir assistido de um mecânico de confiabilidade ns hora da aquisição. “Ele vai saber por onde começar a olhar o automóvel”, reforça.

Aonde é mais aconselhável efetuar a aquisição de um seminovo? 

Para o diretor de avaliação de usados da Personal Car Auto, empresa de assessoramento automotivo, Tércio Andrade, opte primeiro pela concessionária ou loja. “Estes lugares costumam fazer um filtro do que é essencial para entregar o carro ao futuro proprietário, como saber se ele foi recuperado de um sinistro e se há bloqueios administrativos. Comprar de locadoras também pode ser bom negócio, já que a maioria adquire os carros de um único dono. ”

Na hora da aquisição, o que precisa ser checado visualmente no automóvel?

Segundo   o consultor da rede Oficina Brasil, Marcos do Amaral, na hora da aquisição deve-se certificar de todos os itens de segurança a partir de a validade do extintor, a existência das chaves de rodas, triângulo e até as condições do estepe. “Deve também verificar o nível de óleo e sua frequência de troca e pedir até o histórico de manutenção do veículo, para que o futuro proprietário dê continuidade na conservação. ”

E o que precisa ser checado em termos de mecânica? 

Uma orientação básica, de acordo com Monteiro, é acionar o automóvel em marcha lenta e certificar os graus de barulho na cabine e de vibração do volante e da alavanca de câmbio – no caso de um modelo manual. “Dê uma volta no bloco para aferir similarmente se há folga no pedal de breque e como o veículo se comporta no momento em que passa em um buraco. ”

Há um macete para descobrir se o automóvel foi batido ou sofreu enchente?

Se o automóvel foi bem consertado é complicado perceber. Porém o que os profissionais recomendam verificar é o alinhamento de portas, capôs e porta-malas, se há anormalidade nos tons da tinta e olhar minuciosamente os parafusos, em específico das portas e tampas.

Estes parafusos, no momento em que vêm de indústria, são frequentemente pintados na coloração da carroceria. Quando eles são de mais tons, é visto que já houve um ajuste.

Adquirido o carro, quais os próximos passos burocráticos? 

Depois de adquirir um veículo, é preciso realizar a comunicação de venda ao Departamento Estadual de Trânsito do município e a transferência em um tempo de até 30 dias. Algumas unidades do Detran oferecem um passo a passo completo para consulta no setor de Veículos do   sites. Caso o licenciamento não esteja acertado ou existam mais débitos pendentes, é necessário pagar tudo para acontecer a adiamento.

Essas são algumas dicas para se atentar na hora de fazer a compra do seu seminovo ou usado. Pode não ser tão simples e, sem pesquisar e prestar muita atenção, você pode entrar numa furada!

Deixe uma resposta

Preencha todos os campos